TRANSLATE

VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A IGNORÂNCIA E O “MUNDO” QUE ENVOLVER A HUMANIDADE: DOS EGOS E PELEJAS...


Uma reflexão...



A ignorância tem a capacidade de transformar cérebros, mentes, emoções e espíritos; via desencadeamento de pequenos ou enormes atos/conflitos promovido por um indivíduo ou pelo coletivo social; um estado mental, emocional e espiritual em aqueles a endurecer e brutalizar-se, ou nos já endurecidos e brutalizados, também nos em recuperação. Que assim, de pelejas em pelejas, forjam e até perpetuam seres e sociedades voltados a atos destrutivos e monstruosos.
 
Têm-se corpos, pessoas e sociedades doentios;

Tem-se uma massa global perdida e envolvida por seres e/ou ambientes/sistemas geradores e mantenedores de ilusões e sofrimentos;

Tem uma engenharia a sustentar e alimentar-se da pseudorrealidade global;

Tem-se um complexo ilusório fincado em mentalidade materialista, que nega, rejeita e oculta da população, até com terríveis mortes criminosas, as outras formas e manifestações de vida e consciências;

Têm-se as populações distanciadas das maravilhas naturais; como forma de tudo aquilo que é percebido pelos “limitados” cinco sentidos humanos, assim limitados humanos, serem transformados em produto ou forma de consumo...;

Têm-se vidas/consciência sendo utilizadas em fins monstruosos e degeneradas; prol a lucros, status quo, vaidades, luxúrias, posses, e etc.;

Aglutinam e arrastam-se bilhares de pessoas a manterem-se ignorantes: “cegos” a moverem-se encerrados em inconsciência; dormentes numa sociedade desarmoniosa e não reciproca, que come, bebe, veste-se e angaria vantagens diversas ao próprio “conforto”; num processo que muito exige e suga-os, algo sanguinário;

Têm-se conceitos e leis oriundos de um modelo mental, emocional, espiritual, social (...), forjados em teorias de eruditos de doutrinas sagradas ou ideológicas que pouco ou nada praticam referente ao que proclamam;

Tem-se a promoção de ações tenebrosas de igual a pior intensidade que a dos não de igreja: afora momentos em templos, sujeitos atuando no mercado econômico, na política, na guerra, nos sacrifícios humanos e etc.;

Tem-se bodes expiatórios: astuciosamente, atribuem a outrem as culpas de tudo; pondo-os como bases egocentristas da ignorância; por ser aquele da outra família, da outra vila, cidade, religião, ou país...

Tem-se raiz fincada em todos os atos de dissimulação, de preconceitos, de intolerância, de discriminação, de perseguição, atemorização, fofoca...

Tem-se raiz nos atos daqueles que rechaçam, por desconhecerem, e dos que segregam, para eliminar; por crerem serem os puros.

Tem-se raiz no orgulho dos orgulhosos, na luxúria dos luxuosos, na vaidade dos vaidosos, na ira dos irados, na preguiça dos preguiçosos e etc.

Verdade! Tem-se bases em todos que não trabalharam, trabalham ou trabalharão sobre si mesmo, de forma a se transformarem por dentro e por fora; mesmo que a ignorância em esses os induzam a dizer que não é verdade, como forma de proteger-se.  

E existem cenários de “autoproteção”, os medos: forjadores de separatismo ideológico, religioso, filosófico, econômico, que junto a outras formas de separatismos, findam-se em núcleos organizados internos ou externos;

Existem insanidades, violências, guerras, corrupções e mortes, além de outras monstruosidades nessas conformidades.

Existem idolatrias, fanatismo, extremismos e etc. – o eu mesmo.  

E também existem justificativas, sabotagens, consentimentos (...): os bodes expiatórios – “Vamos investigar  o que aconteceu!”; “Vamos apresentar os culpados de tudo isso?”; “Estamos estudando formas de resolver o assunto e punir os culpados e corrigir os erros”; “Desculpem-nos por tudo que fora feito por membros dessa instituição: ela e nós erramos como todo mundo erra!”; “Como que podem falar assim de nós?!”.

Não só isso, existem astuciosos e ardilosos “panos quentes”: o(a) ingênuo(a) tanto junto ao seu público quanto junto aos demais da sociedade, usando de instigação/ataques discursivos em usufruto do senso comum quanto a assuntos polêmicos; criando mais tumultos, polêmicas e falácias em meio a população; como forma de ofuscar as mazelas que praticara: “estão falando de nós, mas a ignorância existente nesse mundo se dá por culpa desses grandes criminosos, corruptos e malfeitores da humanidade; nós estamos é tentando resolver...”.

Existe a ilusão de o ser no cavalo preto, portando armas, responsável por tudo de errado, e etc., ser o culpado de tudo o que ocorre, quando a questão torna-se tensa, aversiva, violenta, sanguinária e etc.;

E existe negação daquilo que realmente está dentro de si mesmo, seja luz seja escuridão, seja leve seja pesado. Claro que, conjuntamente com forças, viventes, instituições e ações prol a tapar, emparedar e concretar o Ser Supremo em os vivente; impedindo que a individualização descubra a existência de toda cura, liberdade, crescimento, transformação, prosperação e iluminação dentro de si mesmo; como se a solução estivesse somente lá fora;

Não se busca, e/ou impede-se, a ocorrência da autorreflexão: o quê e como estou?; onde estou?; fazendo o o quê?; a fim de quê?; (...). É sabido pelos agentes mantenedores da ignorância que a autorreflexão libertadora pode levar indivíduos a olharem para a pouca luz que entra na caverna, como dizia Platão; uma vez que a mesma não busca doutrinar/condicionar seres a tornarem-se intelectuais perturbado de livros sagrados e códigos/conceitos determinados por meia dúzia.     

Não se busca, ou impede-se, que ocorra a reflexão sobre o como compõem direta e astuciosamente a mentalidade a gerar o quadro de homicidas, racistas, infanticidas, xenofóbicos, que dentre vários outros vão culminar nesse horripilante presságio de guerra até nuclear;



Tem-se então os que se julgam representantes do poder e os do bem na terra, quando não são os mesmos; mesmo esses ocupando locais até sacros; e que fizeram e/ou fazem iguais, ou até pior, aos tido como perversos;

E ainda existem mais protecionismos: o estado egocentrista protegido/manutenido pelas instâncias de ignorância em o ignorante; ainda mais quando servo e servido por fontes de informações congruentes com seu estado de ser; via textos, áudio, imagens, vídeos  e etc.; que leva o indivíduo a pensar e afirmar aos sete ventos: “ainda bem que eu não faço parte desse bando de ignorantes e monstros, não tenho ou já tirei isso de mim.”

Contudo, tem-se o contraditório; ceifando e destronando iludidos da mesma forma que o fio da navalha apara e dissipa barbas ou pelos...: e muitos “perdem o chão”.

Têm-se milhares senão os bilhares padecendo e até indo a óbito por não aceitarem cura/saúde quando trazida por pessoas de outros povos, culturas, ideologias, religiões e etc.; continuando perdido em sofrimento mental, emocional, espiritual e corpóreo; esse que migra ao familiar, e por conseguinte, ao sofrimento social.

Tem-se a participação de pessoas de igrejas/crenças diversas: muitas, ocupante de cargos públicos, ou de iniciativa privada, ou nos sem fins lucrativos, afora conselhos, associações e etc., ou em todos simultaneamente, por força das disputas/poder político, e que acabam por arrastar consigo a grande maioria (a massa populacional).

Têm-se muita segundas intenções. Têm-se oportunistas: com a disfarçada ou descarada manutenção do sucateamento da educação, saúde, segurança, alimentação e etc.; assim forjando e reforjando mentes alienadas;

Tem-se a premissa ou alegação de que cada um tem a realidade que deveria e nasceu para ter; não podendo nunca sair dessa realidade; tendo que aceitar tamanho fardo e despautério com real; por força de afirmações postas em meio às crenças (aquilo que se crê como verdade a si mesmo: esportes, alimentações, ideologias, doutrinas religiosas, paixões e etc.); como sendo lei imutável e vinda dos Céus;

Tem-se a premissa de que não se pode descartar ou eliminar objetos, escravos, dominados e etc., pois, nasceram para servir; são os que fazem e sustentam os espertos -  que o mundo é dos espertos;

Tem-se muitos seres em postos estratégicos, encontrando-se tão dormentes/aglutinados por mentalidades, culturas, ideologias e/ou doutrinas que até afirmam/impõem que tudo está certo da forma como está; que não tem que mudar; que pobre é para ser pobre e rico é para ser rico; que alguns já nasceram para liderar; que tem que se conformar; a lei imutável citada anteriormente; 

Têm-se países e sistemas educacionais contra o processo e a própria Iluminação (o pôr-se a se libertar conscientemente de todo o sofrimento sob o qual padece - com alegações de quem nada sabe, pode e etc.). Assim concorrendo contra muitos Iluminados que defenderam, afirmaram e demonstraram soluções via práticas: como o fez Jesus Cristo, Buda, Krishna, Lao Tsé, Maomé, por exemplo. Ou como demonstram em práticas os muitos xamãs, curandeiros, oradores, profissionais de educação, saúde e etc.?

A alimentação apropriada/saudável a todos é e está modificada, pois, transforma de dentro para fora o ser; eis um dos motivos de não acesso a alimentos de forma equitativa, pela população global;

O que se têm, são consumidores de massas, carnes, frituras, guloseimas, bebidas e etc. Também têm carro, motos, aviões, navios, foguetes e etc. Um projeto de consumismo que traga, usufrui e suga a energia vital e as capacidades psico, físicas e intelectuais do ser vivente, através de uma rotina: trabalhar, desejar, adquirir, consumir, descartar e adquirir novamente; num ciclo interminável;

E com isso, dentre outros aspectos, têm-se quase todos armados até os dentes para guerra; gastando bilhões ou trilhões; tendo quase ou toda a inteligência das pessoas do planeta voltada a esse fim...

E não apenas lá no passado, como querem acreditar e pensar muitos em estado de medo/inconsciência ou desinformação: seja nas épocas medievais, coronelistas, ditadoras, democráticas..., ou nas anteriores a dois ou três mil anos atrás, enfim, seja qual a época, a estratégia dos ignorantes já institucionalizados e ocupantes do poder, para perpetuar suas forma de pensar, sentir e agir, sua crenças de mundo, ainda é de alienar, somado a pão e circo, mais projetos de salvação, mais os consentimentos, conformismo, comodismo e etc.; 

A isso, tem-se o atrofiamento da educação; a ocultação ou destruição de conhecimentos libertadores deixados por sábios e iluminados;

Tem-se a queima livros; a tortura, queima, assassinato, perseguição e ocultamente de pessoas, pensadores, educadores e os envolvidos nos processos históricos libertadores desvelados ou nas ciências atualizadas;

Tem-se o implante e o apregoar de medos e atemorizações; seguindo da espera de que todo esse terrível desmonte/feito caia no esquecimento populacional;

Segue-se à imposição e construção de modelos de mentalidades, emoções, convivências, espiritualidades e sociedades;

Tem-se o aguardo da safra populacional “cega”, segundo da apresentação da pseudo-caridade, solidariedade, economia, mundo perfeito, benfeitores institucionais e etc.;

Têm-se os treinados soldados iludidos a dar continuação à cegueira/inconsciência em vigor; dentre outros fatores: o “carro a andar”.

O estado de ignorância está tão alarmante e viril que está levando vários senão a maioria populacional a crer nas profecias existentes apenas prol a si mesmo e/ou a seu grupo. Refiro-me às verídicas profecias dos mais populares sistemas de crenças ou daquelas não tão difundia; que são passadas via hereditariedade e por cultura existencial: o cristianismo, budismo, hinduísmo, taoismo, xamanismo, umbanda e etc.; que tem suas profecias similares senão idênticas entre si; como que apontando para um mesmo ponto.

Enfim, a questão é que, independente de toda essa conjuntura tensa e densa, a verdade sempre aparece e aparecerá: eis as profecias; que de uma forma ou de outra, leva muitos senão todos os em estado de ignorância a entrarem em estado de medo, devido próprios atos: espancamentos, torturas, assassinatos, perseguições, estupros, assédio moral, pedofilia, rituais de sacrifício humano e etc.

Bem! Como é um assunto muito extenso, paro essa reflexão por aqui, pedindo que olhem as postagens anteriores e as várias citações e citados: Mestre Iluminados, livros, músicas, filmes, imagens...; considerando que muitos ainda não foram postados aqui. Todas as postagens são parte de uma conjuntura de pesquisas e práticas quanto a dilemas e resoluções. E quanto à Gnose apropriada, de forma que cada pessoa possa estar e ser em cem por cento a Luz que é e está em si mesmo, não mais um Egocêntrico Pelejante: isso é com cada um, pois, cada um faz o próprio caminho.