TRANSLATE

VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

FELIZ NATAL: JESUS CRISTO VEIO! E CRISTO, ESTÁ?

Será que Ele encontrou as portas abertas para poder adentrar; independente de festanças, encontros e sorrisos? As portas do perdão e caridade desinteressados, principalmente a si mesmo e aos de outras culturas/crenças; encontrou?

As portas dos corações de crianças em felicidades; não assombradas e terrivelmente torturadas pela fome e miséria; encontrou?

As portas da liberdade de consciência; educação e oportunidades igualitárias; encontrou?
As portas de uma mente e coração livres de discriminações a pobres, negros, índios, ciganos, nômades, sem-teto, sem-terra; enfim, livres de racismo, homofobia, xenofobia, superioridade e etc.; ele encontrou?

As portas, via mentes e corações que pagam salários dignos e dividem lucros (o pão repartido: as oportunidades); encontrou?

Pessoas, pelo menos, tentando ser justas ou a transformar esses ambientes; encontrou?

O que ele encontrou? E quem fez o que ele encontrou? Eis uma boa reflexão!

E Ele veio mesmo assim... Mas, não sei eu, se Ele alguma vez se afastou ou saiu de dentro/perto...
E quem real e conscientemente O sentiu/viu, uma vez que conseguiu se libertar, pouco que seja, das mazelas acorrentadoras citadas anteriormente?

Será que fomos mais uma vez enganados(as) pela astuciosa engenharia dos prazeres comestíveis e bebíveis, realizados em grupos também, postos nas festividades até sagradas; para não sentirmos/percebermos Ele?

Vamos continuar formado eruditos políticos de doutrinas religiosas; que tem uma resposta às mazelas e soluções do passado e do futuro, e quando no futuro se chega, tem outra resposta a justificar o que não fora feito no passado; fazendo do presente momento um eterno circuito fechado de enredos bloqueados (muito bem controlado); via ocultação de eternas sabedorias, encontradas espalhadas em todo planeta, e universo, via seus líderes em os meios políticos e etc.

Vamos continuar mantendo ou justificando vários sistemas de crença que põem o Onipotente, Onipresente e Onisciente (D'Us, Deus, Ala, Atom...), encontrado dentro de cada ser vivo (sua própria Alma, ou Centelha Divina, ou Partícula de Deus...) em segundo lugar; mantendo pessoas em mazelas, misérias e sofrimentos; e pondo panos quente, afirmando que é para ser assim, como numa lei imutável? E que sofrimento resolve mazelas do espírito...

Vamos continuar mantendo pessoas em ignorância, escondendo dela que a mesma é um parte de D'Us, Deus, Ala, Atom...? E que há como reconectar totalmente com Essa parte.

Ignorância e sofrimento (que no oriente remete-se a estados de infernos ou trevas) são partes d'uma mesma moeda. Até quando manter-se-ão pessoas nesses estados? E utilizando do Sagrado, de nome de mestres iluminados que pelo mundo passaram e assim por adiante...

E agora? E a Alma, ou Centelha Divina, ou Partícula de Deus..., que és tu mesmo, sem sua mazelas interior, e tu apenas em a Pureza Universal, chamado também de Cristo Interior: vai permiti-lo estar/expressar nesse mundo?

E então...: acordou? É um Feliz Natal? Ou é: Feliiizzz em o Nataalll!!!
 

VIDA, CIÊNCIA, RELIGIÃO E D'US, DEUS, O TODO...


O que é a vida? Qual o sentido da vida? Por que usamos a palavra vida e não sabemos responder o que é ela? 
Por que as "religiões" estão em confronto e conflitos? Por que doutrinas de igrejas, em seus pontos de vista e ação, estão pondo o Onipotente, Onipresente e Onisciente (D'Us, Deus, Ala, Atom...), encontrado dentro de cada ser vivo (sua própria Alma, ou Centelha Divina, ou Partícula de Deus...) em segundo lugar; mantendo pessoas em mazelas, misérias e sofrimentos; e pondo panos quentes, afirmando que é para ser assim, como numa lei imutável? 



Bem! “Como místico, primeiro vemos tudo se transformar internamente. Há uma lei: tudo o que acontece, surge nos planos interiores. ...Você recebe como uma ideia, vem de algum lugar interior...” Eis uma percepção em si mesmo – singularmente –.



Posteriormente, enquanto grupo, “quando o seu propósito e o meu propósito se cruzam, então, estamos fora do espaço, fora do tempo e trabalhamos juntos, de uma forma totalmente diferente que afeta não só a você ou a mim, mas, o todo. E isso é muito significativo.” Llewellyn Vaughan Lee, Ordem Naqshbandiyya-Mujaddidiyya Sufi, professor e escritor; filme-documentário Somos Todos Um.



Contudo, há algo dentro de nós que nos impede de sequer ouvir, ou continuar a ouvir, ou ir averiguar essas circunstâncias em nós mesmos, é Jihad, a guerra sagrada. Há o Jihada Maior e o Jihad Menor. O Jihad Maior é a guerra contra os “hafs”, o ego. E quem inicia uma séria busca espiritual deve dominar a natureza do ego.



Ao ego, é interessante que “aqueles cujas mentes estejam corrompidas pelos desejos materiais se rendam aos semideuses e sigam as regras e regulamentos particulares para a adoração conforme suas próprias naturezas". (Bhagavad-Gita).



Trata-se de pessoas cheias de “barulhos-tempestades” dentro de si mesmas, ou de suas cabeças. São pessoas cujo silêncio pode significar medo; por isso o “vazio” (silêncio) também costuma ter uma conotação negativa, e é muito mal compreendido por vários, nessa situação.



“Mas, existe uma forma tradicional de abordar o Vazio ou Vacuidade. Ela consiste em três partes: uma delas é teórica, e a chamamos de Zen Teórico. É quando a “forma é Vazio, e, Vazio é forma” (como um vácuo quântico). Não se trata apenas da mente intelectual. As coisas se tornam um.”



“A segunda parte é o Tágata Zen, e aqui não há nem Vazio, nem forma. Esta é a segunda parte. Basicamente, nada pode ser dito nesse ponto. Não pode ser descrito com palavras. (...) É apenas silêncio e quietude.”



“A terceira parte é “forma é forma, Vazio é Vazio”. Portanto essas três partes são muito importantes. (...) portanto, o céu é azul, a grama é verde. Voltamos a ver a realidade exatamente como ela é.” Kwong-roshi, budista, Sucessor de Suzuki-Rochi.



Isso é algo compreensivo, para quem resolveu iniciar sua própria jornada espiritual, e claro, nas seguintes fases: em seu início, “o reconhecimento, não apenas a informação, mas a real convicção interior de que há uma força superior, ou Deus. Ou, para facilitar ao máximo para todos, de que há um Outro, com “O” maiúsculo.

Segundo passo: tentar se tornar o Outro. Ainda com “O” maiúsculo. E finalmente, o reconhecimento de que não há Outro. Você e o Outro são um só. Sempre foram. Sempre serão.” Padre Thomas Keating.



Assim, seja em toda essa perspectiva, nas falas desses mestres, seja em várias outras existentes, é que se pode serenamente compreender Mestre Sufi – Shaykn Muhammad Hisham Kabbani – quando ele afirma: na essência do coração do Profeta..., ele era tão puro, que aquela energia se esparramava em Meca, que é um deserto, e atingia o mundo todo, do Extremo Oriente ao Extremo Ocidente. Então, aquele amor que jorrava do coração do Profeta é como a abelha rainha, que doa o mel e a energia às abelhas para produzir o mel.



Assim é com Jesus, o amor em seu coração, pela humanidade, atinge todo o mundo. Assim é com Moisés, o seu amor atinge todo mundo; com Krishna; com Siddharta Gautama; como muitos Xamãs, enfim, assim com todos aqueles que agiram prol a paz transcendente.
AS CENTELHAS D’UMA CHAMA

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

PROJETO, CURSOS/FORMAÇÕES e LIVRO.

Todas as aulas, cursos e formações podem ser prazerosos e edificantes. A questão está em o como construir ou proporcionar esses momentos. O ensino e escola que se pautam apenas na reprodução de ideias, conteúdos e falácias já não conseguem mais cativar ou lidar com seus alunos, aprendizes ou cursandos. E o segredo a um boa e gostosa educação não está em algum lugar lá fora, na técnica/receita perfeita, entre outras mais justificativas, está sim, é dentro de cada um. Só é preciso as ferramentas acertadas para poder identificá-las e utilizá-las.  


PROJETO, CURSOS/FORMAÇÕES e LIVRO

Todas as aulas, cursos e formações podem ser mais prazerosos e edificantes. A questão está em o como construir ou proporcionar esses momentos. O ensino e escola que se pautam apenas na reprodução de ideias, conteúdos e falácias já não conseguem mais cativar ou lidar com seus alunos, aprendizes ou cursandos. E o segredo a um boa e gostosa educação não está em algum lugar lá fora, na técnica/receita perfeita, entre outras mais, está sim, é dentro de cada um. Só é preciso as ferramentas acertadas para poder identificá-las e utilizá-las.  

 



domingo, 7 de dezembro de 2014

O APRENDIZ, O APRENDIZADO E A TRANSFORMAÇÃO


Conhecemos os Limites e Possibilidades d’uma transformação?

Quais transformações estão ocorrendo “dentro e fora” de nós?

Somos conscientes de influências ou atuações de: 

 AMOR
SABEDORIA

RELIGIÕES

SOCIEDADE

SÍMBOLOS

SAGRADO

CIÊNCIA

IDEOLOGIAS

ECONOMIA

INTELECTUALISMO

MEDO

Quem está decidindo sobre o que devemos ler, ver, escutar, assistir, usufruir, experimentar e etc.? Decidindo sobre esse tal de  certo e errado?

Quem está decidindo sobre o que nos deve ou não ser ensinado e dito? Nos transformando em o que estão esses, e nós mesmo? Prol o que? 

Quem somos nós, nesse contexto? Somos gestores de nossa própria existência, pelo menos? Existimos, ou somos sonâmbulos manipulados?! Qual nossa existência? Existe? 

Quem respeita o livre arbítrio? O controla? O que é livre arbítrio, realmente? Quem já consegue ver o que há lá fora; que existe aqui dentro de cada um de nós? Existe aqui dentro e lá fora? 

Quem aprende? E aprende o quê? Já se libertou? Continua Por que? Será? 

 







domingo, 2 de novembro de 2014

ESPIRITUALIDADE/CIÊNCIA ( X ) ILUSÕES/SEPARAÇÕES: HÁ COMO ALCANÇAR AMOR, SAÚDE E FELICIDADE PLENA!

Pouco abençoamos e muito amaldiçoamos! Temos essa capacidade. A criança tem capacidade, o jovem igualmente, e o ancião da mesma forma. Tudo está aqui, dentro e fora de nós mesmos. E é uma pena que pouco conhecemos as energias e o Campo.

O Campo, chamam-no de: Átom, D'us, Deus, Todo, Infinito, Tupan. A ciência não materialista o chama de Vácuo Quântico. As energias, chamam-nas de prótons, elétrons, neutro, gluons, quarks e etc.; num olhar ponderado e feliz à "Energia" Tachyonica: neutra, mais rápida que a energia da luz. Que em outras culturas/tradições, é chamada de Prana, Chí, Energia Universal.

É por onde, e por via de, se é possível reais milagres; e acessível; ilimitado; no aqui; no agora; bastando um coração puro: o "Batei e serás atendido!" não está lá longe, escondido misteriosamente, dependendo de pelejas e sofrimentos intermináveis de forma a se alcançar um simples ou grande milagre.

Podemos curar/transformar, inquestionavelmente, os piores seres e conflitos. Claramente que, começando por nós mesmo. E isso independe de ser um líder máximo em um altar, em qualquer um dos planetas do Universo. É uma pena que isso é escondido, deturpado, escamoteado e negado à maioria. Concordo claramente: depende de aceitação, "preparação", e etc.

Contudo e portanto, não é exclusividade aos escolhidos; é sim, um retorno Si mesmo. Um retorno à onipotência, onipresença, onisciência; encontrada dentro e fora de todos nós. Que por assim ser, está a todos os seres viventes do Universo: querer ou não; eis outra questão.

Verdade! 95% (+/-) da população, continuamente, manifesta sofrimentos e dores. Estamos num concretar dogmático religioso, científico, ideológico, cultural, extremista, etc. Dogmas que afirmam: "fiquem aqui, deixem eles para lá!" Ou seja, é guerra de todas as naturezas; movidas por intolerância religiosa, étnica, por cobiça diversas, dentre outros aspectos.

E é aí que se vê o perpetuar da promoção de corações endurecidos, amargurados e odiosos; sempre dores e mais dores; que engoli seres a todos os que nascem, mesmo sendo de boa mente e coração; também aos de consciência desperta, que aqui chegam como bebês, assim subordinados nesse momento às condições que envolvem tal momento.

Afora as raras exceções, esses 95% não conseguem se libertar da ilusão; que conduz a maioria de forma inteligente. E numa estrutura bem articulada: em meio às hierarquias, códigos/parâmetros, pseudo-representatividade, e até com usufruto de livros sagrados. Não refiro-me aos infernos Dantescos; mas sim à ilusão, à matrix. Seria culpa da ilusão, o motivo de todo esse sofrimento aqui no Planeta Terra? Existe culpado? Como assim?

Por se tratar de um assunto muito amplo, encerro essa reflexão, deixando uma palestra sobre o Poder da Água; numa pesquisa, com imagens reais e etc., demonstrando que basta um mudar de paradigma, um coração puro, um agir constante a um total despertar/iluminar que aí então se ter-se-á início a transformações de a própria vida, e quando em grupo, da coletividade.


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

DINHEIRO: NEM BOM NEM RUIM...




Esse símbolo/objeto, a moeda, não determina a finalidade de si mesmo; e nem é um pensante incitando apegos e desejos. A questão está nos pesos e medidas (valores) envolvidos nas questões de produtos e serviços, oferta e procura, e etc. 
São nesses momentos que, notoriamente, se observa esse modelo de sociedade que temos sendo plasmado e cristalizado; via o próprio nível intelectual, mental, emocional e consciencial das partes envolvidas. Verdade! Não é só isso e assim...

São nesses momentos que, notoriamente, se observa o plasmar e cristalizar de leis e sistema político-monetário; com o participar direto ou indireto de pessoas das diversas classes e grupo sociais. 
E esse tipo de constructo e momento não se dá apenas com a questão monetária; de semelhante forma, já em outros contexto e ligados a esse, assim também se observa o plasmar, cristalizar e manutenir de ideologias, filosofias de vida, credos religiosos e etc. 
Portanto, seja no caso desses últimos seja no caso do dinheiro, ambos denotam o nível de consciência das pessoas e sociedade que os instituem e empregam; ou sua inconsciência. 


E nessas perspectivas, questiono: por que muitos o quer? Por que muitos o deseja com toda a força que possui em si mesmo? 
Seria ele um fator determinante a constituir a cegueira consciencial que envolve a humanidade? Ou seria ele a própria cegueira manifestada por uma população dormente?

Por que outros o pregam como sendo o mal da humanidade? Por que o pregam como sendo apenas a alguns escolhidos, não a outros ou todos? Por que?

Por que a outros ele não promove sedução/escravidão?

Ser uma cédula de dois ou cem reais, ou ser um outro símbolo monetário qualquer, não significa dizer na prática que isso venha ser a definição concreta/real disso que corriqueiramente usufruímos e chamamos de dinheiro.

Sob um olhar humano-transcendental, ele pode ser o benefício/retribuição adquirido por realização de atividade prol a satisfação de necessidades próprias ou às de outrem!

Outrem que não as podem ou sabem realizar; assim oportunizando o surgimento de ofícios trabalhistas; beneficiando grupos e pessoas em suas necessidades; a possibilitar e oportunizar outros e diversos feitos.

Ele é o SIM dos que dispõem de adquiridos benefícios prol a melhoria da qualidade de vidas alheias; por serem pessoas que buscam ser a diferença iluminadora; colaboradores em a história de vida de pessoas e demais seres desse Planeta.

Ele é o SIM de consciências que não se põem a reter/controlar, em meio ao contexto político-econômico e em benefício próprio, a circulação do símbolo monetário (a moeda); por compreender que esse volta-se à aquisição de possibilidades – como um curso ou objetos, por exemplo –.

E ele pode sim..., ser o objeto monetário de troca de um contexto social generoso, sereno, desprendido, harmonioso e pacífico, que dentre outras mais perspectivas, reflete pessoas cuja busca interna tem como características o intuito de dividir e/ou reconduzir benefícios adquiridos em favor de o bem comum, e à manutenção desse bem, independente de predileções dogmáticas, religiosas, ideológicas, doutrinárias e etc.

E como isso só pode assim ocorrer via manifestação do Divino em a vida desses que buscam, pois Este está em Tudo – és Tudo –, então, pode ser ele a possibilidade de angariamento de conhecimento/experiências de vida; à aquisição de práticas educacionais diversas, livros, filmes, músicas, pinturas, poesia, passeios, viagens, cadernos, lápis, borracha, computador e etc.; se assim permitirmos.

Portanto, em desdobramentos conscienciais, ser mais um fator modificador de realidade; a denotar e trazer a  compreensão de a não existência do espaço entre o material e espiritual; uma vez que, um indivíduo e sociedade só manifesta e transparece aquilo que possui em seu íntimo/interior – se é de seres harmoniosos e leves, então, assim também ser sua sociedade; se é de seres tensos, egoístas e gananciosos, então, assim uma sociedade tenebrosa e destrutiva.

Dessa forma, pode o dinheiro ser a condição de acesso ao saciar e alívio daqueles em estado de miséria, em doenças, com fome e etc., quando sendo o SIM (objeto/moeda) à aquisição de alimento, água, fogo, curas, vestimentas e teto (...) que chega às famílias, sem teto, crianças... 
Pode ser ele uma das chaves a abrir portas libertadoras; de acesso a corredores e rotas de saída: por facilitar a aquisição de alimento à liberdade da alma, via contato com simples e libertadoras práticas, informações e conhecimentos; encontradas junto a educadores, terapeutas, psicólogos, geriatras e outros mais.   

Acalme-se! A questão primordial de todo esse discurso não está numa nova teoria ou doutrina. Está sim, prol a consciências iluminadas/despertas...

E nisso questiono: qual nosso nível de consciência iluminada/desperta? Queremos despertar e iluminar?

Até onde ou aonde somos pessoas dispostas promover constantes ações econômicas de reciprocidade, cortesia, partilha, apoio, cooperação e convivência social; principalmente juntos aos grupos de outras culturas, credos, doutrinas e etc.?

Até onde ou aonde somos pessoas dispostas a pagar melhores salários aos colaboradores (funcionários) em nossos empreendimentos; buscando colaborar desinteressadamente com a transformação da vida deles, a alheia; assim tornando ou maturando-nos enquanto seres e mentes transcendidos; diferentemente do modelo ganancioso e sanguinário que rege o mercado global?

E nisso, até onde ou aonde queremos e agimos com o intuito de os colaboradores (funcionários) possuírem maiores e melhores formações humano-profissional; assim também justificando a melhoria salarial? 

Até onde ou aonde somos pessoas dispostas a não reter, ocultar e/ou controlar formas de conhecimentos transcendentais; de forma a não manter pessoas e/ou grupos nas profundezas da ignorância; principalmente quando estamos a dirigir, ministrar e/ou laborar em unidades de ensino diversas?
Até onde ou aonde somos falsos revolucionários, os marionetes do sistema, os outros mais apertadores de parafusos dessa tal máquina chamada sistema, matrix e ilusão; que se sustenta sutil e inteligentemente em os pilares do mercado, do sistema político, do sistema “religioso”, do sistema internacional, órgãos da paz e etc.?

Até onde ou aonde voltamo-nos desinteressadamente à prática do nós; prol a Felicidade em si mesmo e na coletividade; esta que é a própria Vida pulsante em todos vivente; e que está em todos os locais, tanto dentro quanto fora e em ambos simultaneamente?

Até onde ou aonde queremos essa Vida, uma vez que a isso é necessário e urgente o desintegrar de eus psicológicos em nós mesmo. E só registrando: sem esperar gratificações e condecorações ao “mim mesmo”; ou as vanglorias via afirmações de “eu quem fiz, eu sei, sou único escolhido”, etc...

Nem o pão velho querem dar aos que batem a porta. 

Já imaginou se os mestres iluminados que deixaram os vários Livros Sagrados nesse Planeta voltassem como mendigos, pobres, negros, índios, nômades, entre outros mais, e fossem buscar os líderes das religiões e os demais homens da sociedade que junto a esses líderes sustentam suas respectivas religiões, para uma ação de total despojar? 

Quantos saberiam/identificariam-nos como seres de luz? Quantos homens e mulheres os seguiriam? Será que tentariam matá-los; caso eles não se apresentassem com as vestes e alegorias imaginárias de cada credo?

Sem mais delongas, por ser um assunto de muitas faces, até onde ou aonde estamos dispostos a soltar e desapegar-se de tudo? Até onde ou aonde permitimos que a Luz se expresse nesse mundo através de nós?

Até onde ou aonde? E por que?

Creio que Scrooger saiba...

    

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A IGNORÂNCIA E O “MUNDO” QUE ENVOLVER A HUMANIDADE: DOS EGOS E PELEJAS...


Uma reflexão...



A ignorância tem a capacidade de transformar cérebros, mentes, emoções e espíritos; via desencadeamento de pequenos ou enormes atos/conflitos promovido por um indivíduo ou pelo coletivo social; um estado mental, emocional e espiritual em aqueles a endurecer e brutalizar-se, ou nos já endurecidos e brutalizados, também nos em recuperação. Que assim, de pelejas em pelejas, forjam e até perpetuam seres e sociedades voltados a atos destrutivos e monstruosos.
 
Têm-se corpos, pessoas e sociedades doentios;

Tem-se uma massa global perdida e envolvida por seres e/ou ambientes/sistemas geradores e mantenedores de ilusões e sofrimentos;

Tem uma engenharia a sustentar e alimentar-se da pseudorrealidade global;

Tem-se um complexo ilusório fincado em mentalidade materialista, que nega, rejeita e oculta da população, até com terríveis mortes criminosas, as outras formas e manifestações de vida e consciências;

Têm-se as populações distanciadas das maravilhas naturais; como forma de tudo aquilo que é percebido pelos “limitados” cinco sentidos humanos, assim limitados humanos, serem transformados em produto ou forma de consumo...;

Têm-se vidas/consciência sendo utilizadas em fins monstruosos e degeneradas; prol a lucros, status quo, vaidades, luxúrias, posses, e etc.;

Aglutinam e arrastam-se bilhares de pessoas a manterem-se ignorantes: “cegos” a moverem-se encerrados em inconsciência; dormentes numa sociedade desarmoniosa e não reciproca, que come, bebe, veste-se e angaria vantagens diversas ao próprio “conforto”; num processo que muito exige e suga-os, algo sanguinário;

Têm-se conceitos e leis oriundos de um modelo mental, emocional, espiritual, social (...), forjados em teorias de eruditos de doutrinas sagradas ou ideológicas que pouco ou nada praticam referente ao que proclamam;

Tem-se a promoção de ações tenebrosas de igual a pior intensidade que a dos não de igreja: afora momentos em templos, sujeitos atuando no mercado econômico, na política, na guerra, nos sacrifícios humanos e etc.;

Tem-se bodes expiatórios: astuciosamente, atribuem a outrem as culpas de tudo; pondo-os como bases egocentristas da ignorância; por ser aquele da outra família, da outra vila, cidade, religião, ou país...

Tem-se raiz fincada em todos os atos de dissimulação, de preconceitos, de intolerância, de discriminação, de perseguição, atemorização, fofoca...

Tem-se raiz nos atos daqueles que rechaçam, por desconhecerem, e dos que segregam, para eliminar; por crerem serem os puros.

Tem-se raiz no orgulho dos orgulhosos, na luxúria dos luxuosos, na vaidade dos vaidosos, na ira dos irados, na preguiça dos preguiçosos e etc.

Verdade! Tem-se bases em todos que não trabalharam, trabalham ou trabalharão sobre si mesmo, de forma a se transformarem por dentro e por fora; mesmo que a ignorância em esses os induzam a dizer que não é verdade, como forma de proteger-se.  

E existem cenários de “autoproteção”, os medos: forjadores de separatismo ideológico, religioso, filosófico, econômico, que junto a outras formas de separatismos, findam-se em núcleos organizados internos ou externos;

Existem insanidades, violências, guerras, corrupções e mortes, além de outras monstruosidades nessas conformidades.

Existem idolatrias, fanatismo, extremismos e etc. – o eu mesmo.  

E também existem justificativas, sabotagens, consentimentos (...): os bodes expiatórios – “Vamos investigar  o que aconteceu!”; “Vamos apresentar os culpados de tudo isso?”; “Estamos estudando formas de resolver o assunto e punir os culpados e corrigir os erros”; “Desculpem-nos por tudo que fora feito por membros dessa instituição: ela e nós erramos como todo mundo erra!”; “Como que podem falar assim de nós?!”.

Não só isso, existem astuciosos e ardilosos “panos quentes”: o(a) ingênuo(a) tanto junto ao seu público quanto junto aos demais da sociedade, usando de instigação/ataques discursivos em usufruto do senso comum quanto a assuntos polêmicos; criando mais tumultos, polêmicas e falácias em meio a população; como forma de ofuscar as mazelas que praticara: “estão falando de nós, mas a ignorância existente nesse mundo se dá por culpa desses grandes criminosos, corruptos e malfeitores da humanidade; nós estamos é tentando resolver...”.

Existe a ilusão de o ser no cavalo preto, portando armas, responsável por tudo de errado, e etc., ser o culpado de tudo o que ocorre, quando a questão torna-se tensa, aversiva, violenta, sanguinária e etc.;

E existe negação daquilo que realmente está dentro de si mesmo, seja luz seja escuridão, seja leve seja pesado. Claro que, conjuntamente com forças, viventes, instituições e ações prol a tapar, emparedar e concretar o Ser Supremo em os vivente; impedindo que a individualização descubra a existência de toda cura, liberdade, crescimento, transformação, prosperação e iluminação dentro de si mesmo; como se a solução estivesse somente lá fora;

Não se busca, e/ou impede-se, a ocorrência da autorreflexão: o quê e como estou?; onde estou?; fazendo o o quê?; a fim de quê?; (...). É sabido pelos agentes mantenedores da ignorância que a autorreflexão libertadora pode levar indivíduos a olharem para a pouca luz que entra na caverna, como dizia Platão; uma vez que a mesma não busca doutrinar/condicionar seres a tornarem-se intelectuais perturbado de livros sagrados e códigos/conceitos determinados por meia dúzia.     

Não se busca, ou impede-se, que ocorra a reflexão sobre o como compõem direta e astuciosamente a mentalidade a gerar o quadro de homicidas, racistas, infanticidas, xenofóbicos, que dentre vários outros vão culminar nesse horripilante presságio de guerra até nuclear;



Tem-se então os que se julgam representantes do poder e os do bem na terra, quando não são os mesmos; mesmo esses ocupando locais até sacros; e que fizeram e/ou fazem iguais, ou até pior, aos tido como perversos;

E ainda existem mais protecionismos: o estado egocentrista protegido/manutenido pelas instâncias de ignorância em o ignorante; ainda mais quando servo e servido por fontes de informações congruentes com seu estado de ser; via textos, áudio, imagens, vídeos  e etc.; que leva o indivíduo a pensar e afirmar aos sete ventos: “ainda bem que eu não faço parte desse bando de ignorantes e monstros, não tenho ou já tirei isso de mim.”

Contudo, tem-se o contraditório; ceifando e destronando iludidos da mesma forma que o fio da navalha apara e dissipa barbas ou pelos...: e muitos “perdem o chão”.

Têm-se milhares senão os bilhares padecendo e até indo a óbito por não aceitarem cura/saúde quando trazida por pessoas de outros povos, culturas, ideologias, religiões e etc.; continuando perdido em sofrimento mental, emocional, espiritual e corpóreo; esse que migra ao familiar, e por conseguinte, ao sofrimento social.

Tem-se a participação de pessoas de igrejas/crenças diversas: muitas, ocupante de cargos públicos, ou de iniciativa privada, ou nos sem fins lucrativos, afora conselhos, associações e etc., ou em todos simultaneamente, por força das disputas/poder político, e que acabam por arrastar consigo a grande maioria (a massa populacional).

Têm-se muita segundas intenções. Têm-se oportunistas: com a disfarçada ou descarada manutenção do sucateamento da educação, saúde, segurança, alimentação e etc.; assim forjando e reforjando mentes alienadas;

Tem-se a premissa ou alegação de que cada um tem a realidade que deveria e nasceu para ter; não podendo nunca sair dessa realidade; tendo que aceitar tamanho fardo e despautério com real; por força de afirmações postas em meio às crenças (aquilo que se crê como verdade a si mesmo: esportes, alimentações, ideologias, doutrinas religiosas, paixões e etc.); como sendo lei imutável e vinda dos Céus;

Tem-se a premissa de que não se pode descartar ou eliminar objetos, escravos, dominados e etc., pois, nasceram para servir; são os que fazem e sustentam os espertos -  que o mundo é dos espertos;

Tem-se muitos seres em postos estratégicos, encontrando-se tão dormentes/aglutinados por mentalidades, culturas, ideologias e/ou doutrinas que até afirmam/impõem que tudo está certo da forma como está; que não tem que mudar; que pobre é para ser pobre e rico é para ser rico; que alguns já nasceram para liderar; que tem que se conformar; a lei imutável citada anteriormente; 

Têm-se países e sistemas educacionais contra o processo e a própria Iluminação (o pôr-se a se libertar conscientemente de todo o sofrimento sob o qual padece - com alegações de quem nada sabe, pode e etc.). Assim concorrendo contra muitos Iluminados que defenderam, afirmaram e demonstraram soluções via práticas: como o fez Jesus Cristo, Buda, Krishna, Lao Tsé, Maomé, por exemplo. Ou como demonstram em práticas os muitos xamãs, curandeiros, oradores, profissionais de educação, saúde e etc.?

A alimentação apropriada/saudável a todos é e está modificada, pois, transforma de dentro para fora o ser; eis um dos motivos de não acesso a alimentos de forma equitativa, pela população global;

O que se têm, são consumidores de massas, carnes, frituras, guloseimas, bebidas e etc. Também têm carro, motos, aviões, navios, foguetes e etc. Um projeto de consumismo que traga, usufrui e suga a energia vital e as capacidades psico, físicas e intelectuais do ser vivente, através de uma rotina: trabalhar, desejar, adquirir, consumir, descartar e adquirir novamente; num ciclo interminável;

E com isso, dentre outros aspectos, têm-se quase todos armados até os dentes para guerra; gastando bilhões ou trilhões; tendo quase ou toda a inteligência das pessoas do planeta voltada a esse fim...

E não apenas lá no passado, como querem acreditar e pensar muitos em estado de medo/inconsciência ou desinformação: seja nas épocas medievais, coronelistas, ditadoras, democráticas..., ou nas anteriores a dois ou três mil anos atrás, enfim, seja qual a época, a estratégia dos ignorantes já institucionalizados e ocupantes do poder, para perpetuar suas forma de pensar, sentir e agir, sua crenças de mundo, ainda é de alienar, somado a pão e circo, mais projetos de salvação, mais os consentimentos, conformismo, comodismo e etc.; 

A isso, tem-se o atrofiamento da educação; a ocultação ou destruição de conhecimentos libertadores deixados por sábios e iluminados;

Tem-se a queima livros; a tortura, queima, assassinato, perseguição e ocultamente de pessoas, pensadores, educadores e os envolvidos nos processos históricos libertadores desvelados ou nas ciências atualizadas;

Tem-se o implante e o apregoar de medos e atemorizações; seguindo da espera de que todo esse terrível desmonte/feito caia no esquecimento populacional;

Segue-se à imposição e construção de modelos de mentalidades, emoções, convivências, espiritualidades e sociedades;

Tem-se o aguardo da safra populacional “cega”, segundo da apresentação da pseudo-caridade, solidariedade, economia, mundo perfeito, benfeitores institucionais e etc.;

Têm-se os treinados soldados iludidos a dar continuação à cegueira/inconsciência em vigor; dentre outros fatores: o “carro a andar”.

O estado de ignorância está tão alarmante e viril que está levando vários senão a maioria populacional a crer nas profecias existentes apenas prol a si mesmo e/ou a seu grupo. Refiro-me às verídicas profecias dos mais populares sistemas de crenças ou daquelas não tão difundia; que são passadas via hereditariedade e por cultura existencial: o cristianismo, budismo, hinduísmo, taoismo, xamanismo, umbanda e etc.; que tem suas profecias similares senão idênticas entre si; como que apontando para um mesmo ponto.

Enfim, a questão é que, independente de toda essa conjuntura tensa e densa, a verdade sempre aparece e aparecerá: eis as profecias; que de uma forma ou de outra, leva muitos senão todos os em estado de ignorância a entrarem em estado de medo, devido próprios atos: espancamentos, torturas, assassinatos, perseguições, estupros, assédio moral, pedofilia, rituais de sacrifício humano e etc.

Bem! Como é um assunto muito extenso, paro essa reflexão por aqui, pedindo que olhem as postagens anteriores e as várias citações e citados: Mestre Iluminados, livros, músicas, filmes, imagens...; considerando que muitos ainda não foram postados aqui. Todas as postagens são parte de uma conjuntura de pesquisas e práticas quanto a dilemas e resoluções. E quanto à Gnose apropriada, de forma que cada pessoa possa estar e ser em cem por cento a Luz que é e está em si mesmo, não mais um Egocêntrico Pelejante: isso é com cada um, pois, cada um faz o próprio caminho.

domingo, 20 de julho de 2014

EDUCAÇÃO E ILUMINAÇÃO DE CONSCIÊNCIA: A LIBERDADE DA MENTE, EMOÇÃO, CORPO...


A educação e sistema educacional - no processo de aprendizagem mais a prática do educar-se - são ótimas formas de se alcançar a liberdade de mente, emoção e corpo; por conseguinte, a iluminação de consciência. Se assim não concorrem, é porque já os transformaram em formas de alienar, cercear e iludir seres viventes prol a interesses diversos ou obscuros.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

A CONSCIENTE MÃE NATUREZA, TODO UNIVERSO, AS EXPERIÊNCIAS NESSAS FORMAS/CORPOS, E AS INFINITAS POSSIBILIDADES


A CONSCIENTE NATUREZA (MÃE NATUREZA) NÃO É APENAS ESSA PAISAGEM NATURAL OU “FONTE” DE RIQUEZAS MATERIAIS QUE FICAMOS A DEVASTAR AQUI, ALI E ACOLÁ; COMO SE FOSSE INESGOTÁVEL E SEM CONSCIÊNCIA DISSO TUDO EM ELA; ENQUANTO PLANETA, POR EXEMPLO.  
ELA É ESTRUTURA EM CONEXÕES SUTIS; HARMONIOSA, INTELIGENTE E SABIAMENTE EXISTENTE. 
ELA É A FORMA/LOCAL ONDE AS CONSCIÊNCIAS SE HOSPEDAM DENTRO DE FORMAS QUE CHAMAMOS DE CORPOS. 
ELA É ONDE ESSES SERES VIVOS ALCANÇAM EXPERIÊNCIAS, TRANSFORMANDO-SE, POIS SEMPRE ESTÁ EM MOVIMENTO. 
ELA É ONDE TUDO REPOUSA NA PAZ; ONDE HÁ SAÚDE E FARTURA; ONDE HÁ CRESCIMENTO. 
NESSAS BREVES FRASES, É TAMBÉM O FEMININO DEMONSTRANDO TODA SUA MAGNITUDE, PERMITINDO-NOS ESTA EXPERIÊNCIA EXISTENCIAL: ENQUANTO HUMANOS, ANIMAIS, VEGETAIS, MINERAIS, DENTRE OUTROS NO UNIVERSO... 
A TÍTULO DE CLAREAR ESSAS COLOCAÇÕES, E MAIS INFORMAÇÕES ACRESCENTAR A RESPEITO DESSE ASSUNTO/CONJUNTURA, DEIXO O VÍDEO ABAIXO, CUJA LEVEZA, SUTILEZA E SERENIDADE, EM SUA MENSAGEM, MÚSICA CLÁSSICA, IMAGEM E FRASES, MELHOR APRESENTAM ASPECTOS AO PROCESSO DE COMPREENSÃO; E À MEDITAÇÃO, REFLEXÃO, CALMA E ETC.



domingo, 6 de julho de 2014

A PESSOA, O MEDO, E O MUNDO

A PESSOA CUJO HÁBITO, MENTE, DOUTRINA E CRENÇA TEM POR CULTURA CERCEAR, ADESTRAR, CONTROLAR E ATEMORIZAR OUTRAS PESSOAS/GRUPOS, DENTRE OUTROS FATORES, ESTARÁ SEMPRE COM MEDO QUE O MESMO ACONTEÇA CONSIGO, OU QUE SEJA AINDA PIOR... 



E NESSAS PERSPECTIVAS, UMA CONSIDERAÇÃO A SE TER, É QUE POUCOS OU RAROS TÊM A COMPREENSÃO DE TUDO ISSO EM SI MESMO, CRENDO SER LIVRES, MADUROS, EXPERIENTES, REALIZADOS, SALVOS POR SEREM FILIADOS EM DOUTRINAS E ETC. 
DESCONHECEM QUE A ARTE DA COMPREENSÃO (O COMPREENDER) REQUER LIBERDADE PSÍQUICA, EMOCIONAL E ESPIRITUAL, DENTRE OUTROS FATORES INTRÍNSECOS E/OU TRANSVERSAIS... 
DESCONHECEM QUE OS CONTROLES/COMANDOS DOS AGENTES DO MEDO SÃO BEM REALIZADOS; QUE RAROS OU POUCOS CONSEGUEM A OPORTUNIDADE DE VER UM PONTINHO SEQUER DE LUZ; SE É QUE SABEM O QUÃO ESTÃO PERDIDOS NA “ESCURIDÃO”...

terça-feira, 1 de julho de 2014

EDUCAÇÃO E DINÂMICA EDUCATIVA

AQUELE QUE BUSCA EDUCAR-SE ENQUANTO NÍVEL MENTAL, EMOCIONAL, LITERÁRIO-FILOSÓFICO, DEVOCIONAL E CIENTÍFICO, DENTRE OUTROS, TERÁ QUE PRATICAR A SERENA AUTO-OBSERVAÇÃO...


EDUCAÇÃO E DINÂMICA EDUCATIVA

AQUELE QUE BUSCA EDUCAR-SE ENQUANTO NÍVEL MENTAL, EMOCIONAL, LITERÁRIO-FILOSÓFICO, DEVOCIONAL E CIENTÍFICO, DENTRE OUTROS, TERÁ QUE PRATICAR A SERENA AUTO-OBSERVAÇÃO: A IDENTIFICAR A MELHOR E/OU APROPRIADA DINÂMICA DE AÇÃO A SI MESMO; PROL CADA PASSO E/OU  MOMENTO DE AÇÃO/TRANSFORMAÇÃO; FRENTE ÀS INTEMPÉRIES E/OU RESOLUÇÕES.

Alessandro José de Lima