TRANSLATE

VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

QUAL HISTÓRICO DE DESRESPEITO E VIOLÊNCIA HUMANA NAS FAMÍLIAS E NA SOCIEDADE?

Já se perguntou o motivo de tanta indignação, revolta, irritação e ódio tanto em si mesmo quanto na própria família e sociedade?

E o quão colocamos o ser humano, a vida, a família, crianças, natureza e tudo mais como meros objetos à aquisição de dinheiro, posses, prestígios, dominação, poder, e etc.?

Perguntou-se o quão se está perdido e subordinado às percepções sensoriais (carnais): no comer até empanturrar, na mão-boba que tudo quer tocar, no olfato libidinoso por cheiros buscar, na audição traiçoeira ao outros malograr, visão que a muitos quer mirar, pressão que muitos querem escapar, calor, e etc.);

Já se perguntou o quão se é mais uma das pessoas, dos bilhões, totalmente ou 97% tomados por seus viciados sentidos psíquicos? Sabes o que é isso em si mesmo?

Possui clareza do quão se é parte dos submissos ao materialismo, ao capitalismo, ao destrutivo fanatismo dos que se auto-afirmam devoto-religioso? E o como tudo isso está conectado?


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

DESTEMPEROS EMOCIONAIS: INDIVIDUAL E COLETIVO

Já se perguntou o porquê das tantas irritações, angústias, aflições, dores e medo junto à população global, e à vida particular de cada pessoa, começando pela própria vida?

O porquê de hábitos e comportamentos iguais e/ou semelhantes aos de nossos pais, avós, bisavós, tataravós e seus antecessores?

E enquanto sociedade: já se perguntou o porquê de comportamentos iguais aos de determinado vizinho, grupo humano regional, povo de uma nação; tanto aos aspectos apropriados e transcendentes quanto aos inapropriados e destrutivos?

Eis alguns breve relatos sobre o que há por trás de tudo isso?


terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Curso - 7 Chaves ao Aprendizado e Transcendência de Realidade

Um curso com carga horária de 80 horas, via Educação à Distância, em dois (02) módulos, 13 aulas. É teoria e prática a cerca de ciência e conhecimentos aplicados ao cotidiano humano; com produto final encontrado junto à prática do proposto aqui.

Em sua conjuntura global predominam ações gratuitas. Parte de seu conteúdo encontra-se na forma de mini artigos, e muitos materiais estão por vir. Tudo locado neste blog, vindouro site e Facebook deste autor. Um trabalho humanista, quiçá solidário e acessível gratuitamente ao máximo de pessoas possíveis. 

Já o Curso, suas Formalidades e Certificação, no site:

https://olympu.maestrus.com/ver/curso/sete-chaves-ao-aprendizado-e-transcendencia-de-realidade/


terça-feira, 2 de janeiro de 2018

A REALIDADE DA FÉ

As crianças não sabem o que é fé! Participam de experiências que desconhecemos. E intrigados ficamos por algo está a ocorrer!




segunda-feira, 20 de novembro de 2017

EBOOK: SETE CHAVES AO APRENDIZADO E TRANSCENDÊNCIA DE REALIDADE


O EBOOK JÁ ESTÁ DISPONÍVEL! 

NOS PRÓXIMOS DIAS, UM CURSO COM CARGA HORÁRIA DE 80h


Sete Chaves: eis um composto de indagações técnicas, reflexões culturais e citações científicas. Uma ferramenta ao específico levantamento e confecção de informações; ao autoconhecimento, conhecimento social, psicopedagógico, psicológico, filosófico e institucional.

https://eduzz.com/curso/ZmlZ/.html?d=485703 


Este material volta-se a pais & responsáveis, docentes, jovens acima de quatorze anos (considerado sua maturidade), formadores de opinião, administradores & RH, órgãos de saúde, dentre outros. Transita de conceitos e situações simples às mais complexas.



É Educação, Psicologia, Família, Relações Humanas, Cultura e Mercado: tendo algo grandioso observado em ambos os casos, intrinsecamente ligado à natureza humana: o conhecimento. O primeiro, dum conjunto de material psicopedagógico, literário, sociolinguístico e cultural aplicado.



Com ferramentas, condições e meios práticos prol alcance de entendimentos, discernimento, compreensões e sabedorias (domínios–dons) em si mesmo; é maturar, prosperar e transcender para além dos próprios condicionamentos e circunstâncias; a todos os sentidos.










terça-feira, 7 de novembro de 2017

APRENDIZADO, ESCOLHAS E O TIPO DE VIDA QUE SE TEM

Alike - Escolhas da Vida



Quem fará essa escolha? Quem tem coragem de soltar tudo? E soltar os modelos e paradigmas onde se encontra, mantém e defende?

 



domingo, 5 de novembro de 2017

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS & OUTRAS PERSPECTIVAS DIDÁTICAS

A Contação de Histórias sempre foi uma ferramenta utilizada pelos seres humanos como forma de transmissão de conhecimentos, mensagens, informações gerais e até informações secretas.

Pedagogicamente falando, é ótima forma de estímulo à leitura, ao desenvolvimento da intuição, imaginação, criatividade, musicalidade, escrita mais rica em enredos e nuances, enfim, vai longe as possibilidades com a Contação de Histórias.




Há história para todas as idades. E a história narrada para faixa etária correta estimula o interesse à leitura, molda o caráter do grupo envolvido, colabora com a criança ou público dependendo do tipo de situação que esta vivenciando.

Ainda, muito ela contribui na resolução de conflitos, e também é uma ótima e prazerosa forma de diversão pedagógica e literária.

A Contação de Histórias é um valioso instrumento às práticas educacionais em família, práticas pedagógicas de professores tanto da educação infantil quanto de ensino superior. Também às práticas pedagógicas em meios religiosos, filosóficos, ideológicos e outros mais.




O quê motiva e fundamenta essas afirmações é: as histórias estimulam a imaginação, estimula o silêncio, a oralidade, a escrita, música, pintura...

Com uma história, consegue-se propor um ambiente e clima favorável ao tipo de arte que se quer expressar. 

Ela contribui com o aprendizado e desenvolvimento de linguagens diversas, por exemplo: a linguagem oral, escrita, visual...




As histórias criam um elo entre o mundo da fantasia e o da realidade: contar história para uma criança, jovem, adulto e ancião contribuir para com a formação de seus valores, elaboração do pensamento, trato das emoções, esclarecimentos diversos,  e convivência humana.

Como é muito grande o emprego de histórias para dar sermão, pito, bronca, deboches ou ironizar alguém, também para alienar pessoas com falsas sacralidades, filosofias, ideologias, discursos, modelos sociais e etc., então, quando se começa uma história, muitas pessoas logo torcem o nariz em sinal de refutação.

Eis um dos motivos da Contação de Histórias e Literatura não estarem sendo fonte de inspiração e significativas transformações junto aos meios educacionais diverso, ao religioso, governamental ou privado: estão utilizando da arte para alienar e controlar pessoas com mais e mais ilusões.




De igual modo também está a ocorrer com os indivíduos dos meios familiares e social diverso: que vêm a contação histórias, folclore e literatura como coisa tola, chata, ou passatempo inútil, dentre outros fatores.

Outro motivo, é que estamos numa população que fala, conta e ministra sobre assuntos, fatos, ciência, religiosidade, política, filosofia, artes e outras mais conhecimentos baseado apenas em teorias lidas em livros; em teóricas formações acadêmica, política, teológica e/ou científica.

Dessa forma, quando este tipo de indivíduo faz uso da palavra, percebe-se então que tal ato encontra-se vazio, longínquo, insosso e insulso: uma fala, discurso e história sem graça; mesmo que venha dum texto bem elaborado e com personagens bem definidos em meio à trama. 




Cabe a nós refletirmos o quão somos essas pessoas da não prática: um bando de teórico se dizendo senhor e senhora da verdade, da maturidade, da lei, dos céus, e etc.



Para descobrirmos o quão deturpamos e até denigrimos informações, fatos, contextos, seres, indivíduos e sacralidades mundo a fora: por desconhecer, por falta de pesquisa, por intolerância, por rechaço, por ódio, fanatismo, guerra...; as sujeiras encrustadas na mente, emoções, intelecto e alma

Com diz nos contos chineses: só um dragão dourado para dar conta de ajudar pessoa nesse tipo de situação - são centenas ou milhares de horrendos bichos dentro de si.